Comida de Festa Junina

Junho é um mês muito especial para nós brasileiros, mês de arraial, mês de festa junina.

Eu simplesmente amo festa junina, acredito que ela traga muitas lembranças e memorias da infância e é claro que a comida tem um papel super importante nisso.

Fico um pouco assustada com algumas dicas que vejo por aí sobre: “o que pode e não pode na festa junina”, “como manter a dieta durante a festa junina”.

Me sinto triste em ver como as pessoas estão lidando com a comida. A alimentação é um fator biopsicossocial, ou seja, deve abranger a parte biológica, os nutrientes, mas também deve contemplar a parte psicológica, social e cultural. Tem coisa mais cultural do que festa junina?

Sei que muitas vezes você pode pensar que são muitas calorias e que possivelmente vai engordar nessa época, mas não precisa ser assim, tire a culpa e o medo das calorias, respeite sua fome e saciedade, tire o foco só da comida e se divirta com sua família, participe das brincadeiras, dance.

Eu amo comida de festa junina, sou apaixonada por bolo de milho, bolo de fubá, paçoca, canjica, pipoca, quentão, vinho quente… Eu tenho uma memória bem grande da minha infância, lembro de estar com meus pais na missa e sentir um cheiro maravilhoso de todas essas comidas reunidas na praça da igreja. Não deixe que seus filhos percam essas memórias tão lindas por conta de dietas restritivas.

Qual que é sua comidinha preferida da festa junina? Tem algum prático típico da sua região?

Me contem… ❤🍉

Detox pós-carnaval

Como foi seu carnaval? Animado? Ingeriu muita bebida alcoólica? Preferiu ficar em casa tranquilo(a) mas acha que abusou um pouco da comida?

De qualquer forma, sempre vem aquele pensamento de que é necessário fazer alguma coisa com relação a alimentação para eliminar os excessos. Quem nunca fez um detox pós-carnaval? Será mesmo necessário?

Não, você não precisa fazer detox, fazer dieta líquida, da sopa, jejum ou coisa do gênero. O que você precisa é simplesmente voltar a sua rotina, simples assim…

Algumas dicas:

  • Não esqueça da ingestão de água:

Tome pequenas quantidades ao longo do dia, não adianta passar o dia sem tomar água e compensar tudo de uma vez só. Deixe uma garrafinha de água sempre perto de você, assim você não esquece. Você pode optar também por água saborizada com limão, laranja ou gengibre, fica bem gostoso.

  • Dê preferência para os alimentos in natura:

Nada de pacotinhos, prefira os alimentos naturais: frutas, verduras, legumes, oleaginosas, iogurtes naturais, peixes, carnes magras, ovos, frango, especiarias, feijões, arroz integral, batata, mandioca, azeite, água de coco, etc..

  • Se a ressaca foi forte e você sente necessidade de melhorar a hidratação, aposte nos chás e sucos antioxidantes:

Chás de cavalinha, hibiscos, camomila e verde. Para os sucos é só usar a criatividade, misture sempre 2 tipos de frutas, uma folha verde ou legumes, pode por água ou água de coco. Por exemplo, para um suco refrescante você pode usar uma pêra, uma maçã, um copo de água de coco natural geladinha e uma folha de hortelã.

Para finalizar, deixo um texto que achei na internet hoje, ele é de 2015 e nas buscas sobre “textos sobre dieta detox”  me deparei com ele, não pude deixar de compartilhar. Ele foi escrito pela Ruth Matos e ainda é muito atual.

Detox na vida**

POR RUTH MANUS

Porque a saúde não mora só no corpo.

Passou o natal, passou o ano novo, passou o carnaval. The game is over e a vida real pede passagem. É nessa hora que a febre detox-vida-nova-entrar-nos-eixos vem com força ainda maior- se é que isso é possível.

Detox vem da ideia de desintoxicar, tirar do corpo tudo o que não lhe faz bem. Louvável, sem dúvida nenhuma. Mas o problema começa quando as pessoas resolvem achar que duas garrafas de suco verde são a milagrosa solução para melhorar suas vidas.

2018* tá aqui na nossa frente e de nada vai adiantar desintoxicar o corpo, se a vida e a alma estão povoadas de hábitos, pessoas, dias e caminhos tóxicos. Parasitas, comodismos, vícios, medos.

Gente tóxica é o que mais tem. Gente cinza, amarga, invejosa, gente que gosta de problema, que gosta de doença, que gosta de discórdia, gente que vive de aparência, gente rasa. E não tem jeito, temos que fugir mesmo, cortar, evitar ao máximo. Bom dia, boa tarde e até logo. Não nos deixemos contaminar.

Não adianta comer chia toda manhã se a gente odeia o emprego e já sai de casa com vontade de voltar. Não dá para achar que o corpo vai estar puro se você não acredita no que faz e passa mais de 40 horas da semana ruminando tarefas infelizes.

Não adianta beber 3 litros de água por dia quando se está num relacionamento que afundou. É cômodo, todos sabemos. Mas a vida é uma só e não dá para ver os dias, meses e anos passarem com migalhas de amor e sem vestígios de paixão.

Não adianta colocar linhaça nas receitas quando só se reclama da vida, dos outros, do país, do calor, da chuva, do trânsito. É um círculo vicioso, quanto mais a gente fala das coisas ruins, menos atenção a gente dá às coisas boas e a vida vai ficando ruim, ruim, ruim.

É ilusão achar que a mudança vem de fora para dentro. Que a felicidade e a saúde cabem em embalagens plásticas com códigos de barra. Produtos podem ser ótimos coadjuvantes nessa busca, mas a verdadeira mudança é só o protagonista quem faz.

E eu quero um 2018* detox.

Detox de dias iguais.

Detox de gente ruim.

Detox de maus hábitos.

Detox de inveja.

Detox de relações doentes.

Detox de obsessões.

Detox de pessimistas.

Detox de medo de mudar.

Detox de dias desperdiçados.

Detox de sentimentos pobres.

Detox de superficialidade.

Detox de vícios.

Detox de viver por viver.

E pra fazer detox na vida é preciso coragem. Coragem para mudar, para arriscar, para romper, para fechar ciclos que há muito tempo deveriam ter terminado. O ano oficialmente começou e a pergunta é: vai ter só suco verde ou vai ter detox na vida?

*troquei 2015 por 2018
**texto original em http://emais.estadao.com.br/blogs/ruth-manus/detox-na-vida/

Como manter a “dieta” nas festas de fim de ano?

Essa é uma das perguntas que mais escuto nessa época do ano: “nutri, socorro, como manter a dieta no natal e ano novo?”

Começando desde o principio, eliminaremos essa palavrinha dieta e pensaremos sobre as nossas queridas festas de fim de ano.

Como o próprio nome já diz, essas festas ocorrem somente uma vez no ano e quem tem uma alimentação equilibrada durante todo esse tempo não vai ser prejudicado por conta de um período pequeno.  Outra coisa importante é que nas festas é preciso se comportar frente a comida como em qualquer dia do ano, comer com atenção, tendo noção das quantidades consumidas.

Mas nutri? E aquele monte de comida? Vou poder comer?

Então, isso realmente é uma coisa a se pensar, é necessário ter 20 tipos de sobremesa, 5 tipos de proteína, e tudo mais? Muitas vezes fazemos muita comida sem necessidade, aumentando assim a compulsão por querer comer de tudo um pouco. O ideal é fazer uma ceia mais concisa, mas sim, cheia de sabor, pratos gostosos e saborosos, assim, você experimenta um pouco de tudo e não fica com o sentimento de querer comer as outras mil coisas que estão na mesa.

Natal é um período de confraternização, amor, troca entre familiares, amigos e tantas coisas boas e não é hora para pensar em calorias. Nós temos uma cultura alimentar e no natal é época de panetone, peru, rabanada, será que faz sentido se poupar de comer esses alimentos que normalmente só se come uma vez no ano e trocá-los por salada com frango grelhado, panetone fit ou sorvete de whey?

 

XUXUTONE

Então eu posso comer panetone? PODE!

Posso comer peru? PODE!

Posso comer bolo de sobremesa? PODE!

Mas então, como proceder? Vou comer muito e engordar muitos quilos nesses dias?

Não tenha medo! Coma devagar, mastigue, saboreie o alimento, escute seu corpo e coma o que sentir vontade.

Resumindo, o Natal deve ser uma refeição como outra qualquer do ano, essa preocupação excessiva aumenta ainda mais nossa ansiedade frente a comida e nos faz comer mais, se formos para a ceia com tranquilidade, pensando nos momentos agradáveis e felizes que vamos passar com nossos familiares e amigos, com certeza nosso foco muda e não fica somente na comida.

Uma ceia saudável é aquela que nos traz prazer e harmonia. Falando de conceitos nutricionais, se optarmos pelos alimentos mais naturais, diminuir a quantidade dos industrializados e processados, abusarmos das frutas, saladinhas, substituir refrigerantes e sucos industrializados por suco natural, não há problema algum em ter um peru, de preferência com tempero caseiro, evitando aqueles já temperados, ou um doce feito com açúcar refinado de sobremesa. Aliás gente, qual é o problema de comer um docinho? E não só de final de semana não, vamos adoçar a vida!

Tudo isso é uma questão de equilíbrio, de incluir alimentos que tenham um real significado para você e sua família. Que tal aproveitar a véspera e chamar sua família para cozinhar algum prato especial, ou então, irem todos à feira comprar os ingredientes. São esses momentos que ficarão guardados na memória de todos.

Respondendo a pergunta inicial: como manter a “dieta” nas festas de fim de ano? Não mantenha, aproveite que um novo ano está surgindo e mude! Mude seu relacionamento com a comida, tenho certeza que você não vai se arrepender!